Meu iPhone pode ser hackeado?

Em geral, os iPhones são mais seguros e menos propensos a serem hackeados. Isso se deve à força do software embutido em cada telefone da Apple e às rígidas políticas de segurança que a Apple manteve ao longo dos anos. A Apple sempre foi rápida em lançar atualizações quando um bug ou risco de segurança é descoberto em seus dispositivos. Muitas vezes, os dispositivos Android mais antigos são deixados de fora das novas atualizações de segurança após alguns anos.

A Apple acompanha as atualizações até mesmo em dispositivos mais antigos, às vezes por mais de cinco anos.

No entanto, isso não significa que os iPhones sejam completamente impenetráveis ​​de serem hackeados. Existem maneiras para que isso aconteça e os usuários devem estar cientes para que possam tomar medidas para prevenir incidentes. 

Usando Wi-Fi não seguro

Usar uma conexão Wi-Fi insegura é o maior risco para os usuários do iPhone. É muito mais fácil para um hacker obter acesso a hotspots inseguros do que o Wi-Fi protegido de uma casa. Se um telefone for hackeado após se conectar a uma conexão comprometida, o telefone pode ser exposto àqueles que desejam obter acesso a informações pessoais.

Por exemplo, se um usuário estiver navegando no Facebook, um hacker pode roubar os cookies do navegador associados à conta e usá-los para invadir. Uma vez dentro da conta, o hacker pode simplesmente assumi-la para seu próprio uso. A autenticação de dois fatores pode ajudar nessa situação, mas não impede que os hackers vejam outras informações no telefone.

Como prevenir

O método de prevenção mais básico é não se conectar a pontos de acesso Wi-Fi públicos. Quando possível, use os dados do celular. Mas nem todos têm acesso a dados ilimitados. E daí?

Instale uma VPN. Existem várias empresas conhecidas e confiáveis. As VPNs criptografam as informações enviadas do telefone para o servidor, tornando mais difícil para os hackers obterem acesso ou manipularem os dados de alguma forma.

Instalando um aplicativo malicioso

Por causa da vigilância da App Store sobre os aplicativos publicados em sua loja, é raro que aplicativos maliciosos apareçam. No entanto, às vezes os aplicativos podem escapar pelas rachaduras e chegar à App Store. Ao baixar um aplicativo malicioso, se o usuário der permissão para realizar certas ações em seu iPhone, coisas prejudiciais podem acontecer. Todo o telefone e todo o seu conteúdo podem ser comprometidos.

Como prevenir

Antes que um usuário baixe qualquer aplicativo, ele deve examiná-lo. Eles devem ser cautelosos com aplicativos que acabaram de ser publicados, aplicativos que não têm avaliações e qualquer coisa que geralmente pareça suspeita. Quando um aplicativo é baixado e pede permissão, leia com atenção. Os usuários devem recusar imediatamente as permissões e desinstalar qualquer aplicativo que solicite permissões desnecessárias. 

Por exemplo, um aplicativo de anotações não precisa de permissão para acessar o microfone.

Usando uma senha fraca

Se a senha de um usuário não for única ou fácil de adivinhar, é possível que o iCloud seja hackeado. Isso é ainda mais verdadeiro se sua conta de e-mail esteve envolvida com violações de dados no passado; o e-mail do usuário pode estar flutuando na Internet e ser mais vulnerável. Se um hacker invade a conta do iCloud de um usuário, ele pode acessar informações pessoais como fotos, mensagens, e-mail e muito mais. Essas informações podem ser usadas para invadir outras contas. 

Como prevenir

Use uma senha forte e exclusiva. Certifique-se de que a senha possui uma mistura de números, letras e símbolos. Não o use em nenhuma outra conta. Além disso, configure a identificação de dois fatores. A identificação de duas etapas significa que, mesmo que a senha de um usuário seja quebrada, o hacker ainda precisará de um código secreto enviado para o e-mail ou telefone do usuário. Isso torna muito, muito mais difícil para o iPhone ser hackeado.

Fique Vigilante

Os usuários não devem ser excessivamente paranóicos com a possibilidade de hackear seus dispositivos. Mas é importante ter cuidado e não correr riscos. Eles devem estar cientes do que está instalado em seus telefones, a qual Wi-Fi eles se conectam e sempre usam senhas fortes. Fazendo tudo isso, o perigo de ser hackeado será minimizado. 

A Apple sempre trabalhou duro para fornecer segurança para seus clientes, mas os usuários têm a responsabilidade de implementar hábitos online seguros e protegidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.